Kindle: vale a pena investir no e-reader? (review honestão)

Recentemente comprei um Kindle, que é o e-reader mais popular hoje em dia. Falei sobre ele no instagram (se você não me segue ainda, vai lá: aquelaline) e algumas pessoas me perguntaram o que é e se vale mesmo a pena. Resolvi escrever um post contando mais sobre a minha experiência.

Esse não é o meu primeiro Kindle. Ano passado comprei um, não gostei e acabei vendendo para uma amiga. Agora resolvi dar outra chance e estou adorando. Então acho que tenho uma boa perspectiva fazer um review desse produto, já que já estive dos dois lados. Vamos lá ⬇️

O que é um e-reader? É a mesma coisa que um tablet?

E-reader é um aparelho leitor de livros e revistas digitais. Não é a mesma coisa que um tablet. E-readers tem um tamanho parecido com tablets, mas são feitos especialmente para a leitura de e-books, ou livros eletrônicos. Quais são as diferenças principais?

  • A tela: nos e-readers, a tela não é como a dos nossos celulares (ou tablets), cheia de cores. É uma tela opaca preta e branca, e usa tinta de verdade (conhecida como tinta eletrônica, papel eletrônico ou e-ink). A tela é feita para parecer ao máximo com a página de um livro, então a ela é mate e não reflete a luz do sol ou de lâmpadas, por exemplo. Quando olhamos muito tempo para uma tela convencional, nosso olhos precisam se adaptar ao brilho, o que, por períodos prolongados, pode causar cansaço nos olhos (a famosa vista cansada), ressecamento dos olhos, dores de cabeça etc. A tela dos e-readers não necessita de iluminação e por isso nos dá uma sensação muito parecida com a que temos lendo um livro impresso, o que torna a leitura prolongada muito mais confortável. (Muitos modelos recentes possuem luz embutida, que pode ser usada ou não).
  • A funcionalidade: um tablet é feito para ser como um mini-computador. Nele podemos baixar aplicativos, ouvir música, acessar sites, escrever notas, entre outros. E-readers não são mini-computadores, você não pode surfar a web nem baixar aplicativos. Eles existem simplesmente para a leitura de livros, revistas, pdfs.
  • A bateria: geralmente a bateria de e-readers dura por várias semanas! Muito mais tempo do que a maioria dos dispositivos eletrônicos.
  • O preço: como e-readers são bem mais simples que tablets, são também mais baratos.
  • O peso: geralmente, e-readers são mais leves que tablets.
  • Tamanho: os tablets variam bastante em tamanho, mas geralmente são maiores que e-readers.
Então por que comprar um e-reader, se também posso ler e-books no meu celular ou tablet?

A resposta principal é: pela tela. O conforto da tela que parece um papel faz com que a gente possa ler por muito tempo sem cansar nossa visão, já que um e-reader não emite luz azul como celulares ou tablets. O fato de poder alterar a fonte e o tamanho dela também é um grande ponto positivo pra quem tem problemas de visão.

Sem falar, é claro, que basicamente você terá um número gigantesco de livros num aparelho bem pequeno e leve, que pode levar pra qualquer lugar! Sabe aquele livro com mais de 700 páginas que você ainda não leu porque é muito pesado pra levar na bolsa (ou pra pessoas com problemas como LER ou Síndrome do Túnel do Carpo, pesado até pra segurar enquanto lê)… bom, esse problema deixa de ser um problema com um e-reader.

Porque não gostei do meu primeiro Kindle?

Se você me acompanha aqui já deve saber que ano passado tirei um sabático e passei 5 meses viajando e levei só uma mochila (tenho vários posts sobre isso). Quando se está viajando só de mochila, tem que prestar muita atenção no peso de tudo que leva. Livros são pesados (que surpresa!), então eu tinha que escolher ou levar só um livro ou comprar um e-reader e poder levar vários livros, mas sem o peso. Foi aí que comprei meu primeiro Kindle.

Eu sabia das vantagens da tela em teoria, mas quando recebi o Kindle fiquei surpresa. Parecia que estava usando um Nokia 3310 (o famoso tijolão). A tela P&B me chocou, porque como ela é feita de tinta, ao mudar de página, por um segundo a tela “pisca” e fica preta (é o tempo que o aparelho leva para reposicionar os pigmentos de tinta). Isso me dava a impressão de que algo estava errado com meu aparelho, parecia ser uma falha. Também achei o layout muito feio, é bem basicão mesmo.

Eu trabalho como designer para web, então aquela interface com cara de ultrapassada não me atraiu muito. Outro detalhe é que comprei o Kindle mais básico, e a resolução da tela é bem baixa (167 ppi, quando o normal para impressos costuma ser 300ppi), então as imagens e até o texto não são suuuper nítidos. Esse é um fator que provavelmente não irritaria a maioria das pessoas, mas para designers, é bem ruim 😬 Eu tinha a impressão que a tela não tinha acabado de carregar, já que não ficava 100% nítida.

Devo dizer aqui que a Amazon não é referência de bom design, eu acho a interface do site deles péssima. Não sei bem porque fiquei tão supresa com a interface do Kindle, mas eu esperava mais. (Como já disse antes, é provável que isso não incomode outras pessoas, mas como eu trabalho com isso sou bem chata nesse quesito hehe).

Outra coisa é que no Kindle as páginas não são exatamente páginas, já que você pode ajustar o tamanho da fonte, então isso faz o tamanho de cada livro ser variável. Ele te mostra sua posição no livro com porcentagem, ou até tempo restante de leitura, não páginas. Eu achei isso mega estranho no começo, demorei a me adaptar.

E pra finalizar: eu comprei um Kindle branco, e ele suja super fácil! Não comprei uma capa (peso extra) então levava ele no saquinho que veio na embalagem mesmo e, olha, não recomendo. Foi uma péssima escolha.

Eu sou meio antiga, então adoro coisas analógicas. Ainda anoto todos os meus compromissos numa agendinha (ao invés do celular), ainda tiro fotos com filme de vez em quando. Enfim. Não me adaptei bem à essa tecnologia e acabei nem usando muito meu primeiro Kindle, preferi a sensação de ler livros “normais”. Moral da história: assim que voltei de viagem, vendi meu Kindle e comprei alguns livros.

Então porque resolvi dar uma segunda chance?

Por vários motivos, o inicial foi que atualmente estou morando nos Estados Unidos e cansei de só ler livros em inglês. Ler em português é muito mais fácil, mas estando fora é complicado conseguir livros impressos em português.

Além de bem mais fáceis de achar, e-books muitas vezes são mais baratos, quando não gratuitos. Na loja da Kindle mesmo tem vários de graça (inclusive alguns que mencionei nesse post). Além disso, você pode enviar pro seu Kindle arquivos que tenha para ler por lá. É super fácil, cada Kindle tem um endereço de e-mail. Você manda o arquivo pra esse e-mail, e logo o Kindle faz o download. Ou seja, existem basicamente 3 formas de conseguir e-books: comprando na loja da Kindle, enviando por e-mail ou transferindo do seu computador com o cabo.
OBS: O formato que funciona melhor pro Kindle é o .mobi, então sugiro que você converta seus arquivos de .pdf para .mobi (tem vários conversores online gratuitos) antes de enviar o arquivo.

Para quem gosta de ler, mas viaja bastante (o que é o meu caso) também é muito bom poder ter seus livros queridos sempre à mão. Com um e-reader isso é possível, posso sempre voltar em algum livro que li e procurar aquela frase que adorei e marquei (dá pra “sublinhar” partes, e o Kindle salva o que sublinhamos). Além de marcar trechos, também dá pra adicionar notas e procurar palavras no dicionário. E em um e-reader você pode armazenar muuuuitos, muitos livros mesmo.

Também existe um aplicativo do Kindle para celulares. Acho bacana quando quero compartilhar alguma citação, por exemplo, porque o aplicativo sincroniza o que marcamos e assim fica fácil de achar. Inclusive, o aplicativo Kindle é uma boa ideia para quem quer fazer um “test-drive” antes de investir no Kindle em si.

Outro aspecto importante é que tenho problemas de visão em um dos meus olhos, o que faz com que eu tenha dificuldade para ler coisas muito pequenas. No Kindle posso simplesmente ajustar a fonte pra ficar do tamanho que prefiro. Isso deixa a leitura bem mais confortável.

O que também aconteceu foi que dessa vez eu já conhecia a interface, então não levei nenhum susto. Pelo contrário, comecei a adorar a função de poder alterar o tamanho da fonte, estou gostando de ver a porcentagem que falta pra terminar um livro. Também acho prático quando estou lendo antes de dormir e posso ver quanto tempo falta pra terminar um capítulo. Ou seja, várias das coisas que me incomodavam antes, eu passei a gostar 🤷🏻‍♀️

Ah, e quanto à resolução da tela? Comprei o Kindle Paperwhite (que é uma versão melhor do que o Kindle básico), e a resolução da tela é de 300 ppi 🙌. Outro detalhe é que no Paperwhite a tela não “pisca” quando mudamos de página. Então essa designer chata está satisfeita 😆

Comprei um preto (não suja!) e uma capinha super linda com uma pintura que eu amo do Van Gogh, a Almond Blossoms. Vi essa obra ao vivo numa viagem com amigas e foi emocionante. Olhar pra capinha me faz lembrar da viagem, o que me alegra bastante (especialmente na quarentena quando mal saímos de casa). Essa pintura tem uma história linda, vou deixar aqui um link para o sobrinho-neto de Van Gogh falando mais sobre ela.

Essa sou eu segurando meu Kindle fechado, mostrando a capinha com a pintura Almond Blossoms, de Van Gogh.
Essa sou eu segurando meu Kindle fechado, mostrando a capinha com a pintura Almond Blossoms, de Van Gogh.

Um último aspecto: sou super preocupada com o meio ambiente e adepta do minimalismo, então sempre penso muito antes de comprar qualquer coisa nova, principalmente eletrônicos. Mas em vários países, a Amazon vende Kindles de segunda mão, com a mesma garantia de um novo. É só procurar por “Certified Refurbished Kindle” e você pode comprar um Kindle repaginado, mas que realmente vai funcionar como um novo. Adorei essa opção pois, além de menos ruim para o meio ambiente, ainda é mais barato (veja abaixo um exemplo de vários modelos diferentes na Amazon norte-americana).

Isso não é um publi, o Kindle é o e-reader mais popular mas existem e-readers de outras marcas também! Eu inclusive não gosto da Amazon e no geral não quero dar meu dinheiro para empresas que não gosto, mas a praticidade me convenceu.

Conclusão

Se você gosta muito de ler, e quer ter seus livros preferidos sempre com você, um e-reader é uma ótima opção. Se você tem dificuldades para carregar/segurar livros pesados, ou se tem problemas de visão, um e-reader também é muito recomendado. Se viaja muito e gosta de ter várias opções com você, idem. Se considerar que certos livros são bem mais fáceis de encontrar em formato digital que em formato físico, mais pontos pra Grifinória pro e-reader! 😆
Ou seja: na minha opinião, vale a pena sim!

E você, tem ou já teve um e-reader? Ou não tem e ficou com vontade de testar? Me conta 🙂

Qual Aline? Aquela Aline! A que gosta de escrever 🙂

ola@aquelaline.com

Publicado por aquelaline

Sou a Aline, brasileira, designer, viajante e sempre curiosa. Já morei em 4 países, falo 4 línguas e criei esse blog pra compartilhar um pouco do que aprendo por aí.

5 comentários em “Kindle: vale a pena investir no e-reader? (review honestão)

  1. Aline, o meu é igual a esse (eu acho), foi o primeiro que eu comprei. É o paperwhite com iluminação, ele joga a luz em direção ao “papel”, não é como em celular e tablet. Acho confortável e adoro essa praticidade. Inclusive já li uns livros em paralelo, comprei ou ganhei o livro em formato físico e baixei pra ler no kindle pra ler em alguns momentos: antes de dormir (pra ler no escuro) ou pra levar pra algum lugar.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi Manu! Pois é, eu também já me peguei preferindo ler no Kindle um livro que eu tinha fisicamente também! Um deles pela língua, o outro pq achei a fonte do impresso muito pequena. É bem mais confortável de ler no Kindle, e também gostei bem mais do Paperwhite! A última edição é até à prova d’água, dá pra ler até na praia haha 🙂

      Curtir

    1. Oi, fico muito feliz que pude ajudar! Olha, já fazem umas semanas que escrevi e desde então eu tenho gostado mais e mais do meu 🥰
      Tanto que às vezes até baixo nele um livro que tenho fisicamente pq é muito prático. A bateria dura uma eternidade e também adoro que é pequeno e cabe em qualquer bolsa (menor que A5).

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: